ENG

[Texts] World of Sepia

novembro 29, 2016

I believe that the truth – even in its cruel way – must be told. We live in a world of sepia when we are blind to the truth and we don’t even know the colors of the day. All is perfect, beautiful and peaceful. Truth hurts, shows us our true colors and the ones that surrounds us. We even think that we can’t survive that kind of life. We are wrong.
We create illusions that make us justify all the shit we do every single day. It’s not really the truth that hurts people, but the person who hides it.
We say that we want to protect the person we love by lying, but we want to protect ourselves by not dealing with the depth of the truth. We can build a crazy net of lies just in seconds – and sometimes we even forgot how the truth truly was.
That beautiful Sepia World becomes the memories that we want to keep from that lies. We even knowing the truth – ugly truth – we want to get back to that insane happiness that was a simple DECEPTION.
Happiness is something that deserves the truth by its companion. Be truth to yourself, to your friends. Don’t forget that you can always survive whatever you think you can’t.
We are stronger in the truth that in that world of Sepia. Become the truest colors of yourself. Smile with it all. Don’t be alive just by breathing. Be free of the chains of deception. Break free from illusions that society inputs in us. Live in a world full of colors – truth is the better way, always. Even when it hurts, it’s real.

.Poesia

[Palavras Imensas] Aquele Palhaço

novembro 28, 2016

Preocupações de sorrisos,
Esperando que possam fazer-nos sorrir…
Felizes aqueles que os têm!

Depois de um dia,
Ficando ecoando mágoas, misérias…
Ficando pensando num palhaço que bate,
Que se diz um bom batente,
Sabe-se lá do quê!

Um palhaço que bate a quem sofre,
Não por sofrer apenas,
Também por não o ouvir…
Mas quem é este palhaço que bate?
Aquele que te diz sempre algo bem lá dentro…
Muitas vezes nem vale a pena ouvir.

Um palhaço faz sempre sorrir,
Por mais que seja mau o dia…
Curandeiro das dores mal curadas.

.Prosa

[Conto] Eu quero ficar só

novembro 25, 2016

Acho que ouvi alguém, porém não levantei o meu rosto do chão. Queria que tudo à minha volta simplesmente desaparecesse e eu pudesse continuar aqui no chão para o resto da minha vida. O que me importava levantar se não tinha lugar para onde quisesse ir? Eu me sentia em cada nesta tempestade, neste jardim, nesta estrada sem gente que me pudesse importunar.
Eu senti aquele corpo aproximar-se de mim porém, não olhei. A curiosidade que alguma vez tive simplesmente se lavara com todo este caminho que percorrera. Nada mais me interessava além deste chão tão parecido com a minha vida agora.
- O que te traz? – Perguntei. O meu tom simplesmente dizia ‘desaparece’, que a pessoa entendesse o que eu precisava.
- A tua mão. – Ouvi a resposta, o tom suave contrastava com a tempestade que nos rodeava. – A tua mão me trouxe.
Ergui o meu rosto, observava um rosto sério. Olhos cinzentos, da cor da tempestade, pele molhada em tom café e lábios carnudos. Eu não sabia como a minha mão estava agora junto à dela. Parecia uma menininha, só que eu não imaginava como estava lá só. Olhei à minha volta e tudo permanecia deserto.
- A tua mão me aquece. – Comentou, sorrindo. Aquele sorriso pareceu encontrar-se com o meu olhar e deixá-lo ainda mais solitário. Como poderia aquele sorriso me fazer sentir ainda mais só?
- Não preciso de uma mão. Apenas quero ficar sozinha. – Afastei a minha mão, olhei novamente para o chão. Não me interessava que aquela criança estivesse sozinha. Eu não me iria mover novamente.
- Eu quero ficar só. – Ouvi a sua voz continuar, enquanto se levantava. – Eu estou só aqui contigo. – Um som de um pesado sorriso veio não muito de cima. – Eu sou só todo o tempo.
 

2016

[Poetry] Set me free

novembro 24, 2016


I did smile that day,
When you let it go my way.

Choosing to embrace me in death,
Even when I was still alive.
What kind of man loves like this?
Even when he can’t almost breathe.
I was in pain, you felt my pain with me.
That kind of love that I can’t even see,
But the fell made me stronger,
Your hug made me safe.

Euthanasia seemed like a dream,
Or it seemed like a nightmare by leaving you.

I died but I didn’t left you,
Just my body had gone away.
My soul it’s within you, growing.
My love still burns inside you.
I love you.
 

.Prosa

[BandaSonora] Sejamos Vozes Propagadas Pelo Vento

novembro 23, 2016

Para que serve a nossa voz além de propagar raios de sol pelo vento? Quase que se consegue ouvir os sorrisos da criança que habita em mim a cada raio de sol que me aquece a pele. Cabelos molhados ecoam as gotas de esperança que minha voz canta sobre meus dedos… Cada parte de mim faz parte da minha voz, pedaços que se unem e constroem um ser vivo – tão vivo quanto aquilo que sente, ouve e vê.
O que somos nós, além de felizes vozes propagadas pelo vento?
Fecha os olhos, deixa que o ecoar de ti te preencha totalmente… Somos melodias, somos doces sabores de mar. Parte de um todo a que não chega o pouco de nós.
O mundo é belo, tão doce e amargo como as nossas emoções. Sintamos, ousemos flutuar o eco pelas ventanias da vida. Dia a dia, não nos esqueçamos que há algo mais importante do que aquilo que queremos ou que temos – dinheiro, casa, trabalho, carro… Somos tão mais do que aquilo que nos rodeia. Somos além mar, além estrelas!
Ousemos despojar de breves receios e sentir o que está em nós tão vivo – e tão oculto! Inspira… Expira e vê. Somos tão mais que o hoje, somos tão mais que o ontem. Fazemos parte de uma linha do tempo infinita enquanto nos perdermos a cada finito.
Vê além da redoma que te atormenta… Sejamos vozes propagadas pelo vento, sem medos!
 

ENG

[Texts] We are not alone

novembro 22, 2016

The rain keeps coming, just like my heart keeps crying about the world that dies every day and I don’t even care – sometimes we are disgraceful.
People die every second, why would I care about Nature or the planet? We have food, we can be free for it all and become ignorant by choice. We are not perfect, why should I feel guilty? Guilt is not an answer. But how can I try to get away from the society that made me grow up? Is there any piece of magic that makes us perfectly natural? Not everything needs to be completely erased, but transformed. We have technology at our favor.
Let’s get better at knowing that we are not alone. Look around you… What do you see? Just concrete – sometimes we try to mix it with some kind of ‘nature’, but we kill bugs or anything that isn’t pretty to see.
We are not alone, we are part of the Nature – of the world. We don’t own the world, so why keeping making wars for something shitty?
I’m insane, just about to think of all that we can do but choose not to. Am I ignorant by choice too? Yes, I am. What a crazy little girl can I be – wanting to the world to get better by me doing nothing. Words change? Sometimes, but they are not enough.
Day by day, let’s try to let the shitty ways down. Piece by piece, let’s choose not to be ignorant. Let’s try and take action – simple actions will do. Let’s see the world like our treasure to nurture, not to devastate.
 

.Poesia

[Palavras Imensas] Vidas

novembro 21, 2016

Sentimentos despedaçados em momentos de falsidades constantes,
Contagiando vidas que se diluem em futilidades,
Afundando em poços sem fundo e sem escada.
Tornando-se cinza de labaredas distantes…

Um sentimento, a Fénix da verdadeira vida…
Um gesto, um olhar, um sorriso que preenche
Aquele fundo que teimava em não acabar,
Uma nova era de nada,
Preenchendo com a mais simples parte da vida…

Um constante caminho,
Sentindo a leve brisa e não saber do que pensar…
Vendo novas cores, sentindo novos sentidos, deixando brotar vida…
Cheirando a madeira molhada,
A relva cortada que nos sustenta,
Enquanto olhamos as nuvens,
O azul nunca deixou de lá estar…

ENG

[Soundtrack] Dark Waters

novembro 19, 2016





We are naive if we think that just our problems are the real thing. There’s so much in the world that doesn’t fit into the called ‘justice’ that we almost don’t have the right to think that we are the cursed ones.
We lost ourselves into selfishness; being broken doesn’t mean that we can’t get up. We become stronger even when we fall. Be strong to yourself and forget that crazy thoughts of being cursed. We are light, strength and free – our mind is powerful and you can do anything. This song that you can listen above, it’s like a deep ocean of sorrow. That lady of the sea it’s like our hope of getting better. Love wins.
That love that fulfills our soul: a love that it’s ours and only. How can you want someone to love you if you can’t even get your fire be loved?
We are lost to get into ourselves and find our true colors. We have dark waters, dark colors… Our heart it’s like a pallet of great colors that makes us unique.
We have to get courage and get wet by our dark waters, find our boat that’s missing and understand our true love. When you accomplish that sea, when you find all your colors and get to know them – even that dark waters seem like a treasure that exists to make you even more special.
We can’t succumb to this Lady of our dark waters. We are that woman, that sea that tries to kill us. Let’s feel the waves and embrace them – and, yes, sometimes it hurts. The scares of that felling are beautiful. We are perfect with all our imperfection – without civilization masks.
Get your mind and heart and get free of the chains that try to kill you in your own waters!
Be brave, my friend… Get wet, get you. Don’t drown, be the sea!

.Prosa

[Textos] A lua brilha sobre nós

novembro 18, 2016

A lua brilha sobre a nossa cabeça, parece que tudo se torna magia quando olhamos as estrelas. Histórias nascem numa simples noite, amores crescem pela luz das estrelas… Somos tão mais felizes quando olhamos para cima e percebemos a magia onde vivemos – mesmo quando tudo parece tão obscuro, existe luz!
Tal como a nossa vida, a escuridão é aquela que nos faz perceber o quão magnífico pode ser ser-se brilhante. Somos como estrelas, precisamos de cair e ser cadentes… Até que toda aquele vapor que nos pesa se transforma em desejos – aqueles que nossos dedos tornam reais.
A lua é nossa conselheira. Nos faz acreditar quando caímos na escuridão que existe um novo caminho. Mesmo quando esse caminho tem de ser devastado pelos nossos dedos, quando temos de passar dentre as plantas para passar.
Passo a passo que damos pela vida, com pequenas quedas e desilusões, cada pequeno momento é precioso por ser nosso. Amamos aquelas histórias contadas nos livros, quando as pessoas conseguem se tornar bem mais do que simples sacos de pancada – quando ganham coragem para avançar tudo para seguirem rumo à sua felicidade.
Essa felicidade não é mais do que a luz que brilha dentro de nós.
Eu sei que é difícil brilhar a cada dia, mas cada novo dia é mais uma oportunidade de tentarmos sermos mais brilhantes – tal como a lua brilha todas as noites sobre nós.
Sejamos lua, brilhemos a cada momento – mesmo cadentes. Sejamos estrelas de nós.

2016

[Poetry] Sun’s Smile

novembro 17, 2016


Today the sun runs into our veins,
We can even see his smile.
The big moon has given him a kiss!
Their love in us still remains.

Music sings their song,
We can almost fell it in our soul.
Shine like me, like an all.
Show me where we belong.

Breathe me in your heart,
The light is coming through…
The Sun smile to us all,
For the rich and the poor, we’re the same.

There will be a light
That is inside our mind,
Flows through our rivers,
It feeds the fishes and our scares.

Let its light get within,
Smile with the warm of the Sun.
Be its smile, even on darkness.
Feel into the moon,
Get warmer! Be free.

We are made of stars,
Like the Sun,
We are made of smiles.
There’s our strength!
We shine like stars,
Let’s get our light come out!

dias nacionais

[Fotos] Dia Nacional do Mar

novembro 16, 2016

Sem foto de entrada, pois já bastam todas aquelas maravilhas que encontraram aqui debaixo. Aperta o play e ouve o mar cantado... Daquelas delícias do mundo ♥ Fotografias tiradas por mim ao longo destes anos do mar português para celebrá-lo.

Just click play and listen to the sea with the images below. All Sofia Duarte's Photos.




ENG

[Texts] What happened to freedom?

novembro 16, 2016

The world has seen humanity quite a long time. We make a new world of our own, with the thoughts of leaving the human – superior – race above all the universe. How could such animal instincts still remain when we say that we are free and connected with such a great mind that think?
Same old laws of the jungle. Animals trying to take their best interest above whatever surrounds them? We are a joke. Quite great minds, I see.
But who am I to judge? Just like anyone, I’m a great mind minded in my own world. Dreams of a great civilization always across some minds – some of them dye for their beliefs.
What goes around comes around, and not for the better good – like karma. With a world of masks: being tolerant with intolerance. Speaking of freedom when we look away when we see people enchained by their worlds breaking apart. People – mostly refugees – are alone, crossing the desert of disbelieved occidental people. They do believe in better days, some of them even want to share it with us.
Others, just like our people, came just to be a stone that steps forward great people that can do great things. We all are the same human race. What are your dreams? Why they are any different from the other humans? What makes you the chosen one instead of that one beside you?
We are quite intolerant, quite imprisoned by the freedom that we speak but never believed. Where is that kind of freedom for all? We all make chains into our hearts and our minds. Enslaved by our own choice.
What a pretty way of being free… Getting even more broken and close minded that any other time.
Even worse, we never evolve. A circle of talked freedom and open minded people – that are just for illusion. Same old shit. The same old habits, I see.
Habits die hard, just like freedom still hasn’t truly born.

.Poesia

[Palavras Imensas] Fazendo parte de mim

novembro 14, 2016

Dias que vão brotando ao longo das semanas,
Permitindo que a vida não seja apenas anos…
Saudades, o que nos torna eternos,
Nunca nenhum outro povo as sentiu tão profundamente.

São pequenas canções, pequenos sorrisos e momentos…
São tão pequenas as coisas que nos fazem felizes,
São tão imensos os sentimentos que brotam em nós,
Queimando-nos por dentro, dizendo-nos para corrermos!

São nas pequenas coisas que nos sentimos em casa,
Deixamos tudo de lado e olhamos para quem está junto de nós…
Fazendo parte de mim aquela vontade,
Vontade de eternizar todos aqueles de quem amo…
Para que nunca deixem de me deixar assim.

ENG

[Texts] Just one more step, please.

novembro 08, 2016

There comes a time when our soul seems momentarily sold to the sorrow of our heart. In fact, we really are between the fall and the growth. Every corner of our lives is born to grow and get a better way of looking into anything that surrounds us.
I’m sure that I can travel further even when my foot seems to fall down the torrent. Perhaps my mind could become the wings that my body needs to get through this time. We choose the path. Sorrow or hope. We can always change the way we see things, maybe that’s the really treasure – the way we see the world becomes the way the world sees us.
How can you achieve your dreams when they stay broken inside you? Do they have wings? Just one more step, please. We are so close to oblivion. Get far away from us. Please, fly! Use your deepest wings and make your dreams transform our world into new colors.

.Poesia

[Palavras Imensas] Memória, jamais esquecendo…

novembro 07, 2016

Bons momentos que navegam nas memórias,
Permanecendo aquela magia, aqueles aromas…
Sonhos que nos preenchem e nos fazem sorrir,
De tantas as histórias, tantas as dificuldades…
Um pouco de claridade de uma janela de memórias,
Momentos passados das nascentes da vida…

A memória que vai nos pregando partidas,
Brincando um pouquinho connosco,
Libertando emoções diluídas com o passar do tempo…
O tempo não cura, as memórias é que crescem.

Jamais esquecendo aquelas memórias,
Que nos conduzem ao passado, bom ou mau…
Presente de vidas crescidas do anterior ser,
Crescimento de emoções, de desgastes, de amores…
Jamais se esquece aquele que nos faz crescer, ser mais!
Jamais deixamos de ser quem somos,
Sabendo o que fomos, o que vivemos…

Memórias, jamais esquecendo esta melancolia,
Vida que cresce e se alimenta de pequenos momentos,
Tantos que uma vida chega a dar!
Memória, jamais esquecendo aqueles que fazem parte de ti,
Que fazem parte do que sou, vivendo ou não.

.BlogsUp

[Blogagem Colectiva] Como anda a sua busca pela felicidade?

novembro 04, 2016

A cada mês são-nos propostos temas para realizar a Blogagem Colectiva, que tem sempre temas tão originais! Querem participar? Cliquem 'aqui' e façam parte do grupo!

O que é ser-se feliz? Sim. O que é?

Somos seres tão sonhadores, tão inspirados por aquilo que crescemos ao ouvir que acabamos por procurar essa tal palavra por toda uma eternidade. Mas o que isso é? Ter as coisas que queremos? Somos felizes consumistas? Ter aquilo que precisamos para sobreviver, sermos compreendidos (ou fingirem compreensão) por aqueles que nos rodeiam?
A realidade é que este último ano foi daqueles que mais me indagou a procurar essa resposta pela tal 'felicidade'. Qual a razão que nos leva a procurá-la? Tudo o que nos rodeia no dia de hoje, no presente... Tal como diz o nome, é o presente que se apresenta nas nossas mãos. Somos criadores de palavras, de sonhos e mundos... O que nos prende de tentar moldar o presente para que a felicidade nos abrace?

Qualquer dúvida, crise ou problema que surja na minha vida me fará sempre recordar de apenas uma pequena história que me fará sempre colocar gotas de água sobre o meu rosto. Sintel. Um imenso nada que me inspirará para sempre seguir com a felicidade e tristeza junto a mim, aproveitando cada dia.

Eu não busco ou procuro ou sonho com a felicidade... Ela virá até mim, a cada abraço com o presente que se presenteia a nós.


Ei... Não se esqueçam de me dizerem o que acharam da pequena história abaixo deste pequeno texto!

Um abraço, com o presente de presente a todos vocês. Valorizem o que vos rodeia. Não procurem apenas sonhos, o amanhã. Sejam felizes hoje!
Clica na imagem abaixo para seguires para todas as postagens da blogagem colectiva deste mês do Blogs Up!

2016

[Poetry] The Song of Utopia

novembro 03, 2016


I could almost hear their souls singing
The song of a lost mind.
Let us bring the feeling
That will save all mankind.

Utopia must be it,
We are lost along the way.
Step by step, hopes and dreams
Flow through the river.
How can you survive?

Let's bring the utopia alive.
Would you dare make it rise?
Hopes and dreams are more than words,
We can make them our truest swords.

Corações

Google+ Followers

Popular Posts