[Divagações] I

setembro 22, 2015

Meu rosto observa a calçada,
Aquela que passa correndo
Por entre meus passos na chuva.
Calçada que vai escorregando,
Perdida no tempo e nas horas
Em que a chuva cai na minha face.

Meus olhos se rasgam pelo vento,
Aquele que vai divagando na minha alma,
Arrancando humidade do meu olhar,
Não fosse a chuva que acalma,
Não fosse a chuva que teimava a dançar.

Não fosse este caminho da calçada,
Este caminho em que a chuva se deleita,
Deixando a vida abençoada,
Permitindo à vida uma nova colheita.

You Might Also Like

0 comentários

Deixa aqui o teu pedaço!

Não te esqueças de deixar o link do teu blogue, caso tenhas, para te poder visitar!

E... Não te esqueças:
embarca pela minha loucura, sê-te tempestade de emoções!

Corações

Google+ Followers

Popular Posts