.Poesia

[Homenagem] Herberto Hélder

março 24, 2015

Perder-te é deixar que teus versos nos aniquilem a cada dia, do mesmo modo que nos encontra-mos em ti.

Não sei como dizer-te,
Algures na melancolia dos versos,
Diante daqueles silêncios,
Senti infinitamente vazio.

Tentei encontrar-te,
Deixar que o vento me levasse...
Respirei, ondulei sobre as ondas
Da ignorância plena.
Quero ler-te!

Ontem tua procura acabou,
Encontraste-me, encontraste-nos.
Fizeste-te tudo o que o silêncio
Despenhou diante de nossos dedos.

Perdi-te, encontrei-te.
Em cada parte que te encontro,
Que te conheço, desconhecendo...
O pleno obscuro, e que pleno!

Encontra-me,
Que hoje me deixei perder!

Serás e és eterno, em parte, dentro deste vazio que sou.
Obrigada, Herberto Hélder.

.Poesia

[Os Dias] Dia Quatro

março 03, 2015

Nem sempre a vida brilha,
Ficamos fechados em nós, desgraçados
Pela solidão ou quedas que damos.
Queríamos nunca cair assim, perdidos
Pelo chão de desgraças e problemas,
Esquecendo tudo o que realmente
Importou alguma vez na vida.

Mas temos mãos que nos seguram,
Braços que nos sustentam, firmes
São todos aqueles que nos amam
E nos fazem sorrir, breves
São as histórias sem amor.
Pois o amor não é só para amantes,
Amar é a chave de tudo.

Sorrisos saem de minha face,
Bem sei a chave de amar, eterno
Sentimento esse que se abate
Em mim, puro
Coração que se entrega ao amor.
Sem qualquer barreira nem crença,
Amor no seu total íntimo.

Corações

Google+ Followers

Popular Posts